IMG_20170924_115942068_HDR

Trilha entre o Indaiá e o salto do Itiquira

A chegada do domingo trazia um novo desafio: percorrer a trilha de quase 9 km entre a cachoeira do Indaiá até o mirante do Salto do Itiquira. O receio inicial era de que devido ao condicionamento físico, a missão fosse abortada no meio, mas, foi mais fácil do que parecia ser. Não precisou ser atleta para conseguir, mas é necessário um pouco de preparo. O dia também estava ótimo para esse tipo de atividade e o cenário estava lindo: sol, muito verde, flores pelo caminho, águas mansas e vistas de quedas d’águas, um show da natureza!

A saída pode ser feita pelo Indaiá ou pelo Itiquira. O custo da entrada é R$ 15 pelo Indaiá, e R$ 10 pelo Itiquira, sendo que o morador de Formosa que levar a conta d’água paga R$  3.  A estrada por ambos os lados é bom, só tem um pequeno pedaço de estrada de chão com umas costelinhas chatas, cerca de 2km, para quem entra pelo Indaiá.

Na ida dá pra fazer pausas para contemplação da beleza daquele lugar, mas na volta é obrigatório um banho nas águas geladas das cachoeiras. Existem várias quedas d’águas durante o percurso, uma mais linda que a outra, entre elas, o véu da noiva, com queda de 30 metros de altura, é impossível não se encantar por ela. Para quem não se contentar em contemplar a beleza e quiser dar um mergulho, tem acesso por baixo, mas acaba aumentando o percurso da trilha porque tem que dar a volta por baixo.

São tantos locais propícios para banho, com águas rasas e límpidas que dá pra fazer uma parada antes de seguir até o objetivo. O ideal também é levar lanches como frutas e água, lembrando sempre de não descartar o lixo na natureza.

A trilha é auto-guiada, mas tem que ficar muito atento às placas porque elas são pequenas e com cores escuras que se misturam às árvores e as vezes não ficam visíveis. Ela tem grau de dificuldade moderado, com pontos difíceis – existem umas duas subidas que são um verdadeiro teste de resistência.

Mas cada metro em conexão com a natureza compensa o cansaço e faz valer a pena completar essa trilha.

 

Comente!