divino

Tradicional festa do Divino surgiu em 1838

A festa religiosa mais tradicional de Formosa já está chegando. São 10 dias de festividade, contando com a novena que se encerra na véspera do Pentecostes em que milhares de pessoas se juntam para cultuar o Divino Espírito Santos. Este ano a folia será entre os dias 11 e 20 de maio, sendo que o maior dia é o sábado, onde os devotos percorrem as ruas, andando descalços, cantando e rezando. A Folia de Rua começa às quatro da manhã com a alvorada, tocada pelos músicos acompanhados por foguetes e carros de som.

Essa festa que hoje tem grandes proporções tem registros em 1838, quando a Lei Provincial de Goiás estabeleceu oficialmente a Festa do Divino no então Arraial dos Couros, sendo a primeira com o Padre Joaquim Antônio da Rocha. Porém, antes desse período, algo semelhante já era realizado pelos tropeiros viajantes vindo de São Paulo e Minas Gerais.

Até 1905 as festas eram anuais, foi quando os franceses que compunham o Clero Secular tentaram impedir a Folia do Divino Espírito Santos, afirmando que a festa profanava o nome do Senhor. Em 1910 após ter sido reconhecida pelo Clero como uma festa cristã, a Folia passou a ter imperadores e foliões, funções que perduram até os dias de hoje.

Em 1956 a festa foi proibida pelo padre Thiago Leigen por considerá-la profanatica e folclórica, um ato considerado pelos fiéis como arbitrário e que trouxe um efeito negativo para dentro da igreja. Ainda que a folia oficial estivesse suspensa, os roceiros continuaram fazendo por conta própria.

A festa voltou a ser realizada em 1975, quando o Bispo Diocesano Dom Victor autorizou e o  padre Thiago foi transferido para Belo Horizonte. Uma das pessoas que mais lutou para a festa ser realizada foi Leny Araújo.

 

Informações retiradas do site Formosa Histórica

Comente!