sspgo

8 presos de alta periculosidade são transferidos de Formosa e Aparecida para Rondônia

Com objetivo de impedir que oito presos de alta periculosidade continuassem ordenando crimes de dentro dos presídios goianos e cooptando outros detentos, a Secretaria de Segurança Penitenciária montou uma força-tarefa para transferir oito criminosos ligados a facções e com grande atuação em crimes em séries, principalmente assassinatos. O esquema de transferência dos presídios teve início às 6h no Prisional de Aparecida de Goiânia e se encerrou às 10h30 em uma mega operação que contou com participação da Diretoria Geral da Administração Penitenciária (DGAP), a Agência Central de Inteligência, a Polícia Militar, a Polícia Civil, a Polícia Técnico-Científica e o Corpo de Bombeiros.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, a maioria dos assassinatos na capital no últimos meses foi comandada pelos indivíduos transferidos. Os nomes dos detentos foram escolhidos de acordo com o número de crimes cometidos e o nível de periculosidade. Estão na lista: Sérgio Dantas da Silva Filho, José Constantino Júnior, Renato Pereira do Nascimento, Carlos Alberto Lopes, Natair de Morais Junior, Heully Rios dos Santos, Fernando Alves Motta e Flávio Fernandes da Silva.

Para impedir reações violentas de integrantes de facções às quais os presos pertencem foi realizado um planejamento, que incluiu o fechamento e monitoramento do espaço aéreo da capital. O próximo passo agora é fiscalizar uma possível reação dos detentos quanto a transferência.

Desde março, Anápolis e Formosa tiveram inaugurados presídios de “força máxima”, porém como disse o promotor de Formosa, Douglas Chegury, não foram construídos com essa intenção. Ele conta que em cerca de seis meses já foram apreendidos mais de 100 celulares e que falta  guaritas blindadas e scanner como algumas das características que prejudicam a segurança da unidade.

Segundo as investigações, um grupo de cinco pessoas tinha a intenção de explodir o Presídio Estadual de Formosa para resgatar 4, dos 8 presos transferidos para Rondônia.

Comente!